Pular para o conteúdo principal

MILHARES DE PINGUINS FORAM MORTOS DEVIDO A ENCALHE DE ICEBERG


Há dez anos, o longa-metragem de animação Happy Feet - O Pinguim (Happy Feet), co-produção dos EUA e da Austrália, chamava a atenção para a realidade ambiental do Pólo Sul, na Antártica, mostrando, de maneira fictícia e humanizada, uma comunidade de pinguins.

Pois a realidade é bastante dramática, diferente da solução trabalhosa de Mumble, os "pés felizes" do filme, ajudar a comunidade de pinguins. Em 2010, ano em que tentávamos "digerir" o falecimento da maravilhosa Brittany Murphy, um iceberg encalhou em uma colônia de pinguins, um efeito do desequilíbrio ambiental causada sobretudo pela ganância capitalista e pelo descaso político.

Segundo relatório divulgado este mês pela revista da Cambridge University Press, o iceberg B09B, de aproximadamente 1.800 km², ficou encalhado em frente à colônia de pinguins na Antártica, no entorno do cabo Denison Adelie.

Com isso e mais uma porção de gelo em expansão, os pinguins deixaram de ter acesso à água para mergulhar em busca de sustento. Em vez disso, passaram a andar mais de 64 km, tornando mais penosa e, por consequência, mais trágica a situação dos pinguins que vivem no local.

BRITTANY MURPHY DUBLOU A PINGUIM GLÓRIA EM HAPPY FEET - O PINGUIM, DE 2006.

De acordo com dados obtidos através de imagens de satélite, combinados com o censo de 1997, a redução da população de pinguins foi de 160.000 para apenas 10.000. Se não houver alguma medida para quebrar o iceberg e liberar o acesso pelo oceano, a colônia de pinguins simplesmente irá desaparecer.

A população ainda continua se reproduzindo. No entanto, sua redução foi drástica devido ao iceberg, que ficou 20 anos flutuando na costa até encalhar e prejudicar a vida da colônia. É, portanto, um grave problema ambiental que autoridades e cientistas deveriam se dedicar a resolver rapidamente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FILHA DE MÁRCIA CABRITA NÃO TEVE A SORTE DE BRITTANY MURPHY

Ontem, 10 de novembro de 2017, mesmo dia do aniversário de 40 anos de nascimento de Brittany Murphy, a atriz brasileira Márcia Cabrita, também famosa por papéis cômicos, faleceu, perdendo a batalha contra um câncer no ovário, doença diagnosticada em 2010 (a essas alturas Britt já era falecida).

Com o falecimento de Márcia, sua filha Manuela Parente, não teve a sorte de Brittany, pois a adolescente brasileira acabou perdendo a mãe, ameaça da qual a atriz estadunidense foi poupada. Sabe-se que, entre 1990 e 1992, Sharon Murphy sofreu câncer de mama, com alto risco de falecimento, mas sobreviveu.

A exemplo de Sharon, Márcia Cabrita estava solteira, embora seu divórcio com o psicanalista Ricardo Parente tinha sido bastante amigável. Márcia e Ricardo foram casados entre 2000 e 2004, e continuaram amigos desde então. Ricardo compareceu ao velório da ex-mulher, hoje de manhã, em Niterói, terra natal da atriz, famosa por produções como o seriado Sai de Baixo e sua última novela, Novo Mundo, …

TERMO "PATRICINHA" TEVE ORIGEM EM SOCIALITE BRASILEIRA

O termo "patricinha", que os fãs de Brittany Murphy conhecem pela denominação brasileira dada ao filme de título "seco", Clueless (traduzido do inglês, "sem pistas"), que virou As Patricinhas de Beverly Hills, teve sua origem revelada.

A expressão corresponde ao tipo de garota bem nascida, consumista, fanática por moda, de comportamento ingênuo e intelectualmente duvidoso. Algo como uma jovem dondoca, muitas vezes muito bonita, mas inacessível pelo seu tipo aristocrático.

A revelação se deu no livro Enquanto Houver Champanhe, Há Esperança, que o jornalista Joaquim Ferreira dos Santos, famoso por seus livros memorialistas, como 1958 - O Ano Que Não Devia Terminar (1997), dedica à biografia do colunista social Zózimo Barroso do Amaral.

O termo surgiu da socialite Patrícia Leal, trineta do conde Modesto Leal, que havia sido um dos homens mais ricos do período da República Velha (1889-1930). Patrícia se destacou nas colunas sociais da década de 1990 e, ex-na…

BRITTANY MURPHY NO JAPÃO, DIVULGANDO SIN CITY, EM 2005

Brittany Murphy estava uma doçura na ocasião da entrevista para o portal Cinema Cafe, no Japão, em outubro de 2005, durante sua estadia em Tóquio para divulgação e conferência do filme Sin City naquele país.
É o mesmo país onde, três anos depois, Britt gravaria o filme A Garota do Ramen (The Ramen Girl), seu único filme em que também co-produziu.