Pular para o conteúdo principal

TRAGÉDIA DE BRITTANY MURPHY FEZ PIORAR DESAVENÇAS ENTRE OS PAIS DA ATRIZ


A tragédia da atriz Brittany Murphy foi tão terrível que ela agravou ainda mais a relação, deteriorada há muitos anos, entre os pais da atriz, Sharon Murphy e Angelo Bertolotti.

Os dois tiveram um romance que gerou, em 1977, sua famosa filha. No entanto, meses antes de Brittany completar dois anos de idade, o casal se separou, e Angelo, que já não era tão dedicado assim à filha, raramente aparecia para saber como ela estava.

A separação sempre foi conflituosa, mas depois que Brittany faleceu devido a um aparente ataque cardíaco, a relação tornou-se cada vez pior. Nem a tragédia conseguiu reconciliá-lo, e as notícias recentes só fizeram ainda mais agravar o conflito entre o ex-casal.

Essas notícias giram em torno de um exame que Angelo havia solicitado a um laboratório "independente", através do recolhimento de algumas amostras do corpo da atriz. Segundo o exame, foram identificadas substâncias de metal pesado, o que fez Angelo apostar na tese de que sua filha teria sido envenenada.

Sharon, que criou sozinha a filha e vivia com ela e o marido desta, o produtor Simon Monjack - morto de forma semelhante que a atriz - , numa mansão em Hollywood Hills, bairro nobre de Los Angeles, achou a tese de Angelo "uma loucura" e havia escrito uma longa carta explicando que exames podem apontar vários resultados e que "nunca se saberá de que forma Brittany teria morrido".

Ashton Kutcher, ator do seriado Two and a Half Men e ex-namorado de Brittany, tomou partido do ex-sogro e teria dito, segundo uma fonte, que teme pela hipótese de que a atriz teria sido morta por um maníaco conhecido pelo codinome de Hollywood Ripper.

Agora é a vez de Angelo rebater a declaração de Sharon e dizer que a mãe de Brittany está vendendo os objetos pessoais dela, inclusiva passaportes aéreos, tendo levado vários desses objetos à loja de leilões Julien e vendido outros através do eBay.

Sharon, antes dessa declaração, havia dito que Angelo aposta na hipótese de que Brittany e Simon foram assassinados por uma "terceira parte" com o objetivo de obter dinheiro do seguro, garantido à família quando a morte teve alguma motivação criminosa.

A mãe de Brittany ainda ofereceu dúvidas se Angelo teria sido pai biológico da atriz. "Não tenho outra opção do que seguir lutando pela lembrança da minha filha morta... um homem que pode ou não ser seu pai biológico, e que em sua vida nunca foi um pai para ela", disse.

É lamentável para nós publicarmos notas assim, mas são notícias divulgadas na mídia a respeito de Brittany, que infelizmente fazem a festa da imprensa sensacionalista. Mas temos que noticiar tais coisas, embora não seja nossa prioridade neste blogue.

E tudo isso ocorreu por conta de um casamento infeliz que deu uma reviravolta negativa à vida de uma atriz que parecia estar muito bem há sete anos atrás.

Comentários

  1. Alexandre, será que o problema que eu te relatei no outro comentário (peço desculpas por escrever aqui, pois todos os outros blogs estão fechados) é devido aos ambientes? POis eu sou muito caseiro, no colégio eu sofria muito bullyng e isso me levou a ser mais precavido, quase não saio de casa. Por isso as garotas me enquadram como nerd, mas eu não me considero, pois sou muito fã de sambrega assim como a maioria delas.

    Então talvez não seja uma questão de gosto cultural apenas, mas a estilo de vida.

    Eu queria conselhos sobre isso. Se não quiser escrever diretamente para mim, faça um texto no Mingau de Aço.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

FILHA DE MÁRCIA CABRITA NÃO TEVE A SORTE DE BRITTANY MURPHY

Ontem, 10 de novembro de 2017, mesmo dia do aniversário de 40 anos de nascimento de Brittany Murphy, a atriz brasileira Márcia Cabrita, também famosa por papéis cômicos, faleceu, perdendo a batalha contra um câncer no ovário, doença diagnosticada em 2010 (a essas alturas Britt já era falecida).

Com o falecimento de Márcia, sua filha Manuela Parente, não teve a sorte de Brittany, pois a adolescente brasileira acabou perdendo a mãe, ameaça da qual a atriz estadunidense foi poupada. Sabe-se que, entre 1990 e 1992, Sharon Murphy sofreu câncer de mama, com alto risco de falecimento, mas sobreviveu.

A exemplo de Sharon, Márcia Cabrita estava solteira, embora seu divórcio com o psicanalista Ricardo Parente tinha sido bastante amigável. Márcia e Ricardo foram casados entre 2000 e 2004, e continuaram amigos desde então. Ricardo compareceu ao velório da ex-mulher, hoje de manhã, em Niterói, terra natal da atriz, famosa por produções como o seriado Sai de Baixo e sua última novela, Novo Mundo, …

ATRIZ DE RIVERDALE É COMPARADA A BRITTANY MURPHY

O portal Teen.Com fez uma lista dos atores do seriado juvenil Riverdale - um seriado de drama com personagens criados pela Archie Comics - , produzido pelo canal CW, da Warner, e comparou uma das atrizes, Lili Reinhart, que faz a Betty Cooper (a loura da turma do Archie), com Brittany Murphy, por causa da semelhança.

Consideramos que as semelhanças sejam muito leves, mas insuficientes para tamanha comparação. Tentamos usar uma outra foto da Brittany Murphy, com uma expressão facial mais parecida, para tentar reforçar a comparação.


A semelhança melhora um pouco, talvez até sugerindo que Lili pudesse interpretar Brittany numa possível nova cinebiografia. Mesmo assim, as semelhanças continuam leves.


O que notamos, todavia, é que Lili Reinhart é muito mais parecida com outra Brittany, a Brittany Snow, não apenas pelos olhos claros, mas pelo formato facial bem mais próximo. Se bem que Brittany Snow também já foi comparada com Brittany Murphy. E o mesmo prenome chamou muito a atenção.

TERMO "PATRICINHA" TEVE ORIGEM EM SOCIALITE BRASILEIRA

O termo "patricinha", que os fãs de Brittany Murphy conhecem pela denominação brasileira dada ao filme de título "seco", Clueless (traduzido do inglês, "sem pistas"), que virou As Patricinhas de Beverly Hills, teve sua origem revelada.

A expressão corresponde ao tipo de garota bem nascida, consumista, fanática por moda, de comportamento ingênuo e intelectualmente duvidoso. Algo como uma jovem dondoca, muitas vezes muito bonita, mas inacessível pelo seu tipo aristocrático.

A revelação se deu no livro Enquanto Houver Champanhe, Há Esperança, que o jornalista Joaquim Ferreira dos Santos, famoso por seus livros memorialistas, como 1958 - O Ano Que Não Devia Terminar (1997), dedica à biografia do colunista social Zózimo Barroso do Amaral.

O termo surgiu da socialite Patrícia Leal, trineta do conde Modesto Leal, que havia sido um dos homens mais ricos do período da República Velha (1889-1930). Patrícia se destacou nas colunas sociais da década de 1990 e, ex-na…