Pular para o conteúdo principal

ZIMBIO RELEMBRA SERIADO QUE LANÇOU BRITTANY MURPHY À FAMA



O portal de celebridades Zimbio lançou, na semana passada, um artigo falando sobre o destino dos atores que integraram o elenco do seriado infantil The Torkelsons, produzido pelo Disney Channel entre 1991 e 1993 (rebatizado de Almost Home a partir da temporada de 1992).

O seriado não foi transmitido no Brasil e fez pouco sucesso fora dos EUA, mas foi o primeiro trabalho mais longo e constante que contou com a participação de Brittany Murphy, que só não participou dos primeiros episódios. Ela fez a personagem Molly Morgan (xará da "grande menina" Molly Gunn que Britt interpretou uma década depois em Uptown Girls).

O artigo não mencionou Brittany que, sabemos, teve triste desfecho. Mas descreve o paradeiro dos principais atores do seriado, que em boa parte continuam em atividade e um deles está até presente no recente filme Gone Girl, estrelado por Ben Affleck e Rosamund Pike (mas também com Emily Rajatkowski e Neal Patrick Harris), o ator Lee Norris, que foi o Chuckie Lee Torkelson.

Até mesmo o veterano ator William Schallert, que fez o personagem Wesley Hodges, continua até hoje em atividade, aos 92 anos, nunca carreira bastante longa. Ele participou, recentemente, do seriado True Blood, cujo ator Stephen Moyer quase foi parceiro de Brittany no filme The Caller, se não fosse o desentendimento dela com os produtores do filme.

BRITTANY MURPHY EM CENA DE ALMOST HOME.

Outros atores seguiram suas carreiras adiante, como Connie Ray, que fez a Millicent Torkelson, que apareceu em seriados como Entourage e Law & Order, e Rachel Duncan, que fez a Mary Sue Torkelson, que participou no filme Do Que as Mulheres Gostam (What Women Want), estrelado por Mel Gibson.

Houve também o caso do ator Aaron Michael Metchik, que fez o Steven Floyd Torkelson, que não só segue sua carreira de ator como acumulou as atividades de diretor, produtor e roteirista. Já Anna Slotky, que fez a Ruth Anne Torkelson, largou a carreira de atriz para trabalhar como agente imobiliária.

Outros destaques foram Joey Lawrence e Olivia Burnette, respectivamente Jeff Thornton e Dorothy Jane Torkelson, ele patrão dela num restaurante especializado em frangos. Joey havia feito sucesso no seriado Blossom e entrou na fase Almost Home  já com Brittany (que também fez uma participação em Blossom) no elenco. Joey é conhecido também como um dos protagonistas, ao lado de Melissa Joan Hart, do seriado cômico Melissa & Joey.

Só um parêntesis sobre Melissa Joan Hart: ela participou do seriado As Patricinhas de Beverly Hills (Clueless), baseado no famoso longa metragem, com algumas variações de elenco. Britt, por exemplo, não ficou no elenco principal e só gravou um episódio, Driving Me Crazy, de 1996, numa participação especial, como Jasmine. Melissa estava em outro episódio, Mr, Wright, de 1997, no papel de Sabrina (curiosamente xará da bruxinha da Archie Comics que ela interpretou no cinema).

Voltando ao nosso foco, Olivia Burnette até se casou com um músico e vive com ele e um enteado, mas segue sua carreira de atriz, participando de seriados como CSY: NY e Dexter, embora, segundo o Internet Movie DataBase, não esteja com nova produção a caminho.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FILHA DE MÁRCIA CABRITA NÃO TEVE A SORTE DE BRITTANY MURPHY

Ontem, 10 de novembro de 2017, mesmo dia do aniversário de 40 anos de nascimento de Brittany Murphy, a atriz brasileira Márcia Cabrita, também famosa por papéis cômicos, faleceu, perdendo a batalha contra um câncer no ovário, doença diagnosticada em 2010 (a essas alturas Britt já era falecida).

Com o falecimento de Márcia, sua filha Manuela Parente, não teve a sorte de Brittany, pois a adolescente brasileira acabou perdendo a mãe, ameaça da qual a atriz estadunidense foi poupada. Sabe-se que, entre 1990 e 1992, Sharon Murphy sofreu câncer de mama, com alto risco de falecimento, mas sobreviveu.

A exemplo de Sharon, Márcia Cabrita estava solteira, embora seu divórcio com o psicanalista Ricardo Parente tinha sido bastante amigável. Márcia e Ricardo foram casados entre 2000 e 2004, e continuaram amigos desde então. Ricardo compareceu ao velório da ex-mulher, hoje de manhã, em Niterói, terra natal da atriz, famosa por produções como o seriado Sai de Baixo e sua última novela, Novo Mundo, …

TERMO "PATRICINHA" TEVE ORIGEM EM SOCIALITE BRASILEIRA

O termo "patricinha", que os fãs de Brittany Murphy conhecem pela denominação brasileira dada ao filme de título "seco", Clueless (traduzido do inglês, "sem pistas"), que virou As Patricinhas de Beverly Hills, teve sua origem revelada.

A expressão corresponde ao tipo de garota bem nascida, consumista, fanática por moda, de comportamento ingênuo e intelectualmente duvidoso. Algo como uma jovem dondoca, muitas vezes muito bonita, mas inacessível pelo seu tipo aristocrático.

A revelação se deu no livro Enquanto Houver Champanhe, Há Esperança, que o jornalista Joaquim Ferreira dos Santos, famoso por seus livros memorialistas, como 1958 - O Ano Que Não Devia Terminar (1997), dedica à biografia do colunista social Zózimo Barroso do Amaral.

O termo surgiu da socialite Patrícia Leal, trineta do conde Modesto Leal, que havia sido um dos homens mais ricos do período da República Velha (1889-1930). Patrícia se destacou nas colunas sociais da década de 1990 e, ex-na…

BRITTANY MURPHY NO JAPÃO, DIVULGANDO SIN CITY, EM 2005

Brittany Murphy estava uma doçura na ocasião da entrevista para o portal Cinema Cafe, no Japão, em outubro de 2005, durante sua estadia em Tóquio para divulgação e conferência do filme Sin City naquele país.
É o mesmo país onde, três anos depois, Britt gravaria o filme A Garota do Ramen (The Ramen Girl), seu único filme em que também co-produziu.