Pular para o conteúdo principal

ROSARIO DAWSON MANIFESTA CETICISMO EM RELAÇÃO A HILLARY CLINTON


A atriz e ativista Rosario Dawson, que foi colega de Brittany Murphy nos filmes Paixões em Nova York (Sidewalks in New York), de 2001, e Sin City - Cidade do Pecado (Sin City), de 2005, manifestou seu ceticismo em relação à candidatura de Hillary Clinton à presidência dos EUA.

Ela participou da entrevista coletiva ao lado das colegas Shailene Woodley (estrela das adaptações para o cinema da saga literária Divergente) e a veterana Susan Sarandon, para jornalistas durante a Convenção Nacional do Partido Democrata deste ano, em Filadélfia, na Pensilvânia.

"Se você diz a alguém 'Você tem que votar em tal pessoa para evitar A, B, C e D, eu não acredito que isso possa trazer um bom efeito", disse Shailene, também considerada ativista e que havia defendido o então pré-candidato ao Partido Democrata para sucessão de Barack Obama, o socialista Bernie Sanders.

"Quando estou no DNC (Democratic National Convention) e vejo o nome de (Donald) Trump (candidato do Partido Republicano), porque "Amo Odiar Trump", eu quero saber o que o amor realmente faz lá. Dizer que você é melhor do que Trump não quer dizer muito... Eu acho importante que os votos (dos eleitores de Sanders) sejam ganhos e não apenas concedidos (a Hillary)", declarou Rosario.

Provavelmente, todavia, acreditamos que Brittany estaria apoiando Hillary Clinton para a corrida presidencial. Brittany não era uma especialista em política, mas observando o contexto de sua vida, é possível que ela apoiasse a candidata do Partido Democrata à presidência dos EUA.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FILHA DE MÁRCIA CABRITA NÃO TEVE A SORTE DE BRITTANY MURPHY

Ontem, 10 de novembro de 2017, mesmo dia do aniversário de 40 anos de nascimento de Brittany Murphy, a atriz brasileira Márcia Cabrita, também famosa por papéis cômicos, faleceu, perdendo a batalha contra um câncer no ovário, doença diagnosticada em 2010 (a essas alturas Britt já era falecida).

Com o falecimento de Márcia, sua filha Manuela Parente, não teve a sorte de Brittany, pois a adolescente brasileira acabou perdendo a mãe, ameaça da qual a atriz estadunidense foi poupada. Sabe-se que, entre 1990 e 1992, Sharon Murphy sofreu câncer de mama, com alto risco de falecimento, mas sobreviveu.

A exemplo de Sharon, Márcia Cabrita estava solteira, embora seu divórcio com o psicanalista Ricardo Parente tinha sido bastante amigável. Márcia e Ricardo foram casados entre 2000 e 2004, e continuaram amigos desde então. Ricardo compareceu ao velório da ex-mulher, hoje de manhã, em Niterói, terra natal da atriz, famosa por produções como o seriado Sai de Baixo e sua última novela, Novo Mundo, …

TERMO "PATRICINHA" TEVE ORIGEM EM SOCIALITE BRASILEIRA

O termo "patricinha", que os fãs de Brittany Murphy conhecem pela denominação brasileira dada ao filme de título "seco", Clueless (traduzido do inglês, "sem pistas"), que virou As Patricinhas de Beverly Hills, teve sua origem revelada.

A expressão corresponde ao tipo de garota bem nascida, consumista, fanática por moda, de comportamento ingênuo e intelectualmente duvidoso. Algo como uma jovem dondoca, muitas vezes muito bonita, mas inacessível pelo seu tipo aristocrático.

A revelação se deu no livro Enquanto Houver Champanhe, Há Esperança, que o jornalista Joaquim Ferreira dos Santos, famoso por seus livros memorialistas, como 1958 - O Ano Que Não Devia Terminar (1997), dedica à biografia do colunista social Zózimo Barroso do Amaral.

O termo surgiu da socialite Patrícia Leal, trineta do conde Modesto Leal, que havia sido um dos homens mais ricos do período da República Velha (1889-1930). Patrícia se destacou nas colunas sociais da década de 1990 e, ex-na…

BRITTANY MURPHY NO JAPÃO, DIVULGANDO SIN CITY, EM 2005

Brittany Murphy estava uma doçura na ocasião da entrevista para o portal Cinema Cafe, no Japão, em outubro de 2005, durante sua estadia em Tóquio para divulgação e conferência do filme Sin City naquele país.
É o mesmo país onde, três anos depois, Britt gravaria o filme A Garota do Ramen (The Ramen Girl), seu único filme em que também co-produziu.