Pular para o conteúdo principal

ÍCONE DOS ANOS 90, ATOR DE 'ZOOM' FEZ FILME COM BRITTANY MURPHY


No último dia 21, o ator Jason Priestley, muito popularmente conhecido pelo seu papel de Brandon Walsh em Barrados no Baile (Beverly Hills 90210), de grande sucesso nos anos 90, esteve no Brasil para fazer a divulgação local do filme Zoom, co-produção brasileira e canadense dirigida por Pedro Morelli e co-produzida por Fernando Meirelles, de Cidade de Deus.

Na verdade, Zoom - não confundir com um filme de aventura de 2006 - foi lançado no ano passado, e já havia sido premiado no exterior. É o primeiro filme estrangeiro da atriz brasileira Mariana Ximenes (que, curiosamente, recebeu a atriz Dakota Fanning, de Grande Menina, Pequena Mulher (Uptown Girls), quando esta fez uma passagem rápida no Brasil, em 2014) e também conta com a participação de Cláudia Ohana, ex-mulher do cineasta moçambicano-brasileiro Ruy Guerra.


Pois poucos sabem que Jason Priestley também esteve em um filme com Brittany Murphy, na verdade um dos três episódios do filme Common Ground, de 2000, de uma fase pouco conhecida da cinematografia da atriz.

O filme inclui três diferentes episódios curtos cuja temática comum é o homossexualismo. Dirigido por Donna Leitch, o longa-metragem se divide nos episódios "A Friend of Dorothy's", escrito por Paula Vogel, "Mr. Roberts", por Terrence McNally e "Andy & Amos", por Harvey's Fierstein. As tramas passam na fictícia cidade de Homer, situada no Estado de Connecticut, EUA.

O episódio em que os dois contracenaram foi o primeiro, "A Friend of Dorothy's". Curiosamente, Brittany fez o papel de Dorothy Nelson, uma marinheira que é levada pelo personagem de Jason, Billy, a uma casa noturna interracial que tolera gays e lésbicas.

O órgão de investigação NCIS prende Dorothy sob acusação de "perversão sexual". Depois de liberada, ela tenta reiniciar sua vida, mas encontra problemas de obter emprego por causa da acusação, além de encarar problemas familiares por causa de seu lesbianismo.

Ficamos imaginando se Brittany também iria se envolver hoje em algum filme brasileiro ou com elenco de brasileiros. Tudo indica que sim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FILHA DE MÁRCIA CABRITA NÃO TEVE A SORTE DE BRITTANY MURPHY

Ontem, 10 de novembro de 2017, mesmo dia do aniversário de 40 anos de nascimento de Brittany Murphy, a atriz brasileira Márcia Cabrita, também famosa por papéis cômicos, faleceu, perdendo a batalha contra um câncer no ovário, doença diagnosticada em 2010 (a essas alturas Britt já era falecida).

Com o falecimento de Márcia, sua filha Manuela Parente, não teve a sorte de Brittany, pois a adolescente brasileira acabou perdendo a mãe, ameaça da qual a atriz estadunidense foi poupada. Sabe-se que, entre 1990 e 1992, Sharon Murphy sofreu câncer de mama, com alto risco de falecimento, mas sobreviveu.

A exemplo de Sharon, Márcia Cabrita estava solteira, embora seu divórcio com o psicanalista Ricardo Parente tinha sido bastante amigável. Márcia e Ricardo foram casados entre 2000 e 2004, e continuaram amigos desde então. Ricardo compareceu ao velório da ex-mulher, hoje de manhã, em Niterói, terra natal da atriz, famosa por produções como o seriado Sai de Baixo e sua última novela, Novo Mundo, …

TERMO "PATRICINHA" TEVE ORIGEM EM SOCIALITE BRASILEIRA

O termo "patricinha", que os fãs de Brittany Murphy conhecem pela denominação brasileira dada ao filme de título "seco", Clueless (traduzido do inglês, "sem pistas"), que virou As Patricinhas de Beverly Hills, teve sua origem revelada.

A expressão corresponde ao tipo de garota bem nascida, consumista, fanática por moda, de comportamento ingênuo e intelectualmente duvidoso. Algo como uma jovem dondoca, muitas vezes muito bonita, mas inacessível pelo seu tipo aristocrático.

A revelação se deu no livro Enquanto Houver Champanhe, Há Esperança, que o jornalista Joaquim Ferreira dos Santos, famoso por seus livros memorialistas, como 1958 - O Ano Que Não Devia Terminar (1997), dedica à biografia do colunista social Zózimo Barroso do Amaral.

O termo surgiu da socialite Patrícia Leal, trineta do conde Modesto Leal, que havia sido um dos homens mais ricos do período da República Velha (1889-1930). Patrícia se destacou nas colunas sociais da década de 1990 e, ex-na…

BRITTANY MURPHY NO JAPÃO, DIVULGANDO SIN CITY, EM 2005

Brittany Murphy estava uma doçura na ocasião da entrevista para o portal Cinema Cafe, no Japão, em outubro de 2005, durante sua estadia em Tóquio para divulgação e conferência do filme Sin City naquele país.
É o mesmo país onde, três anos depois, Britt gravaria o filme A Garota do Ramen (The Ramen Girl), seu único filme em que também co-produziu.