Pular para o conteúdo principal

E SE BRITTANY MURPHY CANTASSE COM O QUEEN?


Esquecendo um pouco o que aconteceu de triste com a Brittany Murphy e imaginemos que ela tenha sido escolhida para ser vocalista do tributo ao Queen. Certamente, teria sido uma experiência muitíssimo interessante.

Muitos fãs do Queen fazem reservas quanto ao vocalista da atual fase do tributo, o astro pop Adam Lambert, lançado por um reality show. Visualmente, ele remete a George Michael quando se apresentava no mesmo Live Aid que o Queen, ainda com Freddie Mercury vivo (mas diagnosticado com o vírus da AIDS), com aquele topete e barba por fazer.

O próprio George Michael havia gravado com os remanescentes do Queen, uma versão da música "Somebody to Love" em que o ex-integrante do Wham! exagerava um pouco na teatralidade. Cá para nós, nem todos podem ser Freddie Mercury.

"Somebody to Love" é a mesma música que Brittany Murphy gravou para a trilha de Happy Feet - O Pinguim (Happy Feet), em 2006, impulsionando uma carreira de cantora que, se não tivesse sido abortada pelo famoso infortúnio, teria se tornado brilhante.

Certo, uma mulher cantando os clássicos que haviam sido originalmente feitos sob a voz de Freddie Mercury parece, à primeira vista, estranho. Mas, em se tratando de uma estrela com o talento de Brittany Murphy, se ela tivesse sido vocalista do tributo ao Queen, teria surpreendido.

Ela teria desenvoltura de sobra para empolgar a plateia. Tinha uma belíssima voz, e, como garota divertida que Britt era, ela iria, com toda a certeza, segurar todo o repertório da banda, sobretudo com "Somebody to Love" que ela gravou para a pinguim Gloria "cantar".

Como seria Brittany Murphy cantando "Crazy Little Thing Called Love", "Another One Bites The Dust", "A Kind of Magic" e "Bohemian Rapsody"? E como seria ela cantando "Love of My Life" com sua maneira de segurar a plateia e fazer o público cantar junto?

O que se sabe é que Britt teria feito uma performance inesquecível. Com todo o seu talento vibrante, com sua empatia e sua beleza. Ela não substituiria Freddie Mercury, mas faria o seu próprio espetáculo, dando uma nova dinâmica para as músicas do Queen.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FILHA DE MÁRCIA CABRITA NÃO TEVE A SORTE DE BRITTANY MURPHY

Ontem, 10 de novembro de 2017, mesmo dia do aniversário de 40 anos de nascimento de Brittany Murphy, a atriz brasileira Márcia Cabrita, também famosa por papéis cômicos, faleceu, perdendo a batalha contra um câncer no ovário, doença diagnosticada em 2010 (a essas alturas Britt já era falecida).

Com o falecimento de Márcia, sua filha Manuela Parente, não teve a sorte de Brittany, pois a adolescente brasileira acabou perdendo a mãe, ameaça da qual a atriz estadunidense foi poupada. Sabe-se que, entre 1990 e 1992, Sharon Murphy sofreu câncer de mama, com alto risco de falecimento, mas sobreviveu.

A exemplo de Sharon, Márcia Cabrita estava solteira, embora seu divórcio com o psicanalista Ricardo Parente tinha sido bastante amigável. Márcia e Ricardo foram casados entre 2000 e 2004, e continuaram amigos desde então. Ricardo compareceu ao velório da ex-mulher, hoje de manhã, em Niterói, terra natal da atriz, famosa por produções como o seriado Sai de Baixo e sua última novela, Novo Mundo, …

TERMO "PATRICINHA" TEVE ORIGEM EM SOCIALITE BRASILEIRA

O termo "patricinha", que os fãs de Brittany Murphy conhecem pela denominação brasileira dada ao filme de título "seco", Clueless (traduzido do inglês, "sem pistas"), que virou As Patricinhas de Beverly Hills, teve sua origem revelada.

A expressão corresponde ao tipo de garota bem nascida, consumista, fanática por moda, de comportamento ingênuo e intelectualmente duvidoso. Algo como uma jovem dondoca, muitas vezes muito bonita, mas inacessível pelo seu tipo aristocrático.

A revelação se deu no livro Enquanto Houver Champanhe, Há Esperança, que o jornalista Joaquim Ferreira dos Santos, famoso por seus livros memorialistas, como 1958 - O Ano Que Não Devia Terminar (1997), dedica à biografia do colunista social Zózimo Barroso do Amaral.

O termo surgiu da socialite Patrícia Leal, trineta do conde Modesto Leal, que havia sido um dos homens mais ricos do período da República Velha (1889-1930). Patrícia se destacou nas colunas sociais da década de 1990 e, ex-na…

CAROL CASTRO POSSUI A MESMA ASSIMETRIA NOS OLHOS QUE TEVE BRITTANY MURPHY

A atriz brasileira Carol Castro possui uma caraterística comum no seu rosto que também teve a nossa querida Brittany Murphy.

É o tipo de assimetria na posição dos olhos, um aspecto que, em tese, parece estranho no rosto de uma pessoa, mas nos dois casos em nada estragou na beleza, muito pelo contrário.

Nota-se que na parte esquerda do rosto o olho se posiciona um pouco abaixo do nível do olho no lado direito. Isso vale tanto no caso de Carol quanto foi o caso de Brittany.

A propósito, Carol Castro faz par romântico com o ator e cineasta Márcio Garcia, que a dirigiu no filme Angie (Open Road). Márcio também é diretor do filme Amor Por Acaso (Bed and Breakfast), estrelado por Juliana Paes, que, embora não tenha essa assimetria, tem um rosto levemente parecido com o de Carol.

Amor por Acaso tem no elenco o mesmo Dean Cain que contracenou com Brittany no filme Busca Alucinante (Abandoned), e no elenco brasileiro deste filme de Márcio Garcia tem também a atriz Débora Lamm, que esteve em Ci…