Pular para o conteúdo principal

PERTO DE SER LANÇADO, 'THE BRITTANY MURPHY STORY' JÁ CAUSA REAÇÕES NEGATIVAS


Com toda a certeza, a tragédia de Brittany Murphy é uma das mais confusas e controversas envolvendo celebridades prematuramente falecidas. Para piorar, Brittany deveria ter sido a última pessoa que pudéssemos cogitar morrer cedo, pelo seu dinamismo e modernidade que faz com que, provavelmente, seu espírito, mesmo no além, esteja bastante atualizado com o que ocorre hoje em dia no mundo.

A título de comparação, Brittany talvez esteja melhor informada sobre fatos envolvendo os EUA de 2010 até hoje - dos casos Wikileaks e Edward Snowden ao escândalo das fotos nuas de atrizes (envolvendo até Kirsten Dunst, colega de Brittany em Lindas de Morrer (Drop Dead Gorgeous) e Matemática do Diabo (Devil's Arithmetic)), passando pelo Occupy Wall Street - do que muita funqueira brasileira metida a ativista.

Outro agravante é que Brittany virou prisioneira de sua própria tragédia. Nela há teses conflituosas, confronto de interesses, e o falecimento da adorável filha de Sharon Murphy e Angelo Bertolotti só fez piorar a já tumultuada relação do ex-casal.

Há teses conflituosas e contraditórias. Brittany era drogada? Brittany Murphy se suicidou? Ela faleceu de "causas naturais"? Ela foi morta por algum conspirador? Ou teria sido Simon Monjack que matou a própria esposa? Ou seria algum inimigo de Simon que matou Britt e depois o marido dela por algum ajuste de contas? A Máfia ou a CIA estavam por trás dessa tragédia?

Tudo isso vai contra aquele jeito alegre e vivaz que marcou Britt e ficamos imaginando se o casamento dela com Simon é que teria influenciado fatos estranhos, dos quais não sabemos com certeza, que de um modo ou de outro contribuíram para a indesejada tragédia de uma atriz que estaria fazendo um monte de coisas nos últimos quatro anos.

E aí vem o filme biográfico e não-autorizado sobre a atriz, The Brittany Murphy Story, quando nem livro biográfico chegou sequer a ser publicado, e ainda há uma controvérsia entre a mãe Sharon e o pai Angelo sobre que forma teria morrido a filha deles.

O filme foi escrito por Peter Hunkizer e Cynthia Riddle a partir de reportagens sobre a atriz e dirigido por Joe Menendez, diretor de seriados da Nickelodeon e que havia dirigido um episódio de From Dust to Dawn: The Series, projeto de Robert Rodriguez, o mesmo que co-dirigiu o primeiro Sin City, que teve Brittany num dos episódios.

CARTAZ PUBLICITÁRIO DO FILME

Apesar desse detalhe do diretor e do fato da Lifetime que co-produziu o filme ser a mesma que lançou Nora Roberts Tribute, um dos últimos filmes de Britt, o resultado do filme, segundo muitos, está bem longe de representar fidelidade à biografia da atriz.

Em primeiro lugar, porque a aparência de Amanda Fuller nada ter a ver com Brittany - apesar de, provavelmente, Amanda poder conquistar a simpatia da própria Britt - e a história do filme foi muito mal escrita, parecendo um roteiro escrito às pressas, talvez para lembrar os cinco anos de falecimento de Brittany.

Em segundo lugar, porque a forma com que narrou a tragédia de Britt é bastante controversa e sensacionalista. Essa tese não agradou sequer Angelo Bertolotti, que já havia alimentado a mídia sensacionalista com sua tese de um "complô" contra Brittany e Simon. Angelo achou o filme falso, além de horrível e feito sem autorização.

Angelo não gostou do elenco do filme, classificando-o como atrocidade. Podemos inferir que Amanda Fuller é uma boa atriz, mas ela não é como Brittany havia sido. Angelo também não gostou da informação de que ele teria abandonado a filha aos dois anos, embora seja esta a tese defendida por Sharon Murphy, que, porém, também não teria autorizado a produção do filme.

Vários portais de celebridades também falaram mal do filme, sobretudo por conta das perucas dos atores, dos péssimos diálogos, do enredo sensacionalista e do fato de que, para os padrões da Lifetime, o filme é pior do que muitas produções pornográficas amadoras.

O que se sabe é que Brittany Murphy não teve um casamento feliz, se envolvendo com Simon Monjack que já tinha "ficha suja" na Inglaterra, e que depois traiu a atriz. Seja qual for a tragédia, ela tem alguma relação com a trajetória sombria do roteirista inglês. Não fosse essa relação, talvez Brittany estivesse viva e continuado a nos alegrar com sua jovialidade e talento brilhantes.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FILHA DE MÁRCIA CABRITA NÃO TEVE A SORTE DE BRITTANY MURPHY

Ontem, 10 de novembro de 2017, mesmo dia do aniversário de 40 anos de nascimento de Brittany Murphy, a atriz brasileira Márcia Cabrita, também famosa por papéis cômicos, faleceu, perdendo a batalha contra um câncer no ovário, doença diagnosticada em 2010 (a essas alturas Britt já era falecida).

Com o falecimento de Márcia, sua filha Manuela Parente, não teve a sorte de Brittany, pois a adolescente brasileira acabou perdendo a mãe, ameaça da qual a atriz estadunidense foi poupada. Sabe-se que, entre 1990 e 1992, Sharon Murphy sofreu câncer de mama, com alto risco de falecimento, mas sobreviveu.

A exemplo de Sharon, Márcia Cabrita estava solteira, embora seu divórcio com o psicanalista Ricardo Parente tinha sido bastante amigável. Márcia e Ricardo foram casados entre 2000 e 2004, e continuaram amigos desde então. Ricardo compareceu ao velório da ex-mulher, hoje de manhã, em Niterói, terra natal da atriz, famosa por produções como o seriado Sai de Baixo e sua última novela, Novo Mundo, …

ATRIZ DE RIVERDALE É COMPARADA A BRITTANY MURPHY

O portal Teen.Com fez uma lista dos atores do seriado juvenil Riverdale - um seriado de drama com personagens criados pela Archie Comics - , produzido pelo canal CW, da Warner, e comparou uma das atrizes, Lili Reinhart, que faz a Betty Cooper (a loura da turma do Archie), com Brittany Murphy, por causa da semelhança.

Consideramos que as semelhanças sejam muito leves, mas insuficientes para tamanha comparação. Tentamos usar uma outra foto da Brittany Murphy, com uma expressão facial mais parecida, para tentar reforçar a comparação.


A semelhança melhora um pouco, talvez até sugerindo que Lili pudesse interpretar Brittany numa possível nova cinebiografia. Mesmo assim, as semelhanças continuam leves.


O que notamos, todavia, é que Lili Reinhart é muito mais parecida com outra Brittany, a Brittany Snow, não apenas pelos olhos claros, mas pelo formato facial bem mais próximo. Se bem que Brittany Snow também já foi comparada com Brittany Murphy. E o mesmo prenome chamou muito a atenção.

TERMO "PATRICINHA" TEVE ORIGEM EM SOCIALITE BRASILEIRA

O termo "patricinha", que os fãs de Brittany Murphy conhecem pela denominação brasileira dada ao filme de título "seco", Clueless (traduzido do inglês, "sem pistas"), que virou As Patricinhas de Beverly Hills, teve sua origem revelada.

A expressão corresponde ao tipo de garota bem nascida, consumista, fanática por moda, de comportamento ingênuo e intelectualmente duvidoso. Algo como uma jovem dondoca, muitas vezes muito bonita, mas inacessível pelo seu tipo aristocrático.

A revelação se deu no livro Enquanto Houver Champanhe, Há Esperança, que o jornalista Joaquim Ferreira dos Santos, famoso por seus livros memorialistas, como 1958 - O Ano Que Não Devia Terminar (1997), dedica à biografia do colunista social Zózimo Barroso do Amaral.

O termo surgiu da socialite Patrícia Leal, trineta do conde Modesto Leal, que havia sido um dos homens mais ricos do período da República Velha (1889-1930). Patrícia se destacou nas colunas sociais da década de 1990 e, ex-na…