Pular para o conteúdo principal

ÚLTIMO PAÍS ESTRANGEIRO VISITADO POR BRITTANY MURPHY, PORTO RICO TEM MOVIMENTO PARA TORNÁ-LO ESTADO NORTE-AMERICANO


Último país estrangeiro visitado por Brittany Murphy, Porto Rico, país que é possessão dos EUA, possuindo relativa autonomia, conta com um movimento que pretende transformá-lo no 51º Estado da nação estadunidense.

Segundo seus defensores, a ideia é criar o "primeiro Estado hispânico" dos EUA, e garantir aos cidadãos portorriquenhos os direitos similares ao dos povos dos 50 Estados do país de Tio Sam. Mas a causa não é defendida por todos os cidadãos.

No último dia 11, portanto, há uma semana, houve a votação de um referendo, sem efeito vinculante para os EUA, que perguntava se os eleitores desejariam que Porto Rico fosse a 51 unidade federativa estadunidense.

A adesão foi muito baixa. De 2.260.084 eleitores portorriquenhos, um número inexpressivo de 22,7% da população - algo em torno de meio milhão - foi para as urnas. Deste número, 97% apoiou a iniciativa, enquanto 1,5% dos votos deseja a independência do país e 1,3% que permaneça na situação atual, de Estado livre associado.

Depois de divulgados os resultados, o líder do principal partido de oposição, o Partido Popular Democrático de Porto Rico, Héctor Ferrer, afirmou que o resultado "não foi grande" para a opção de fazer parte dos EUA, mas foi uma derrota para o governador portorriquenho, Ricardo Rosselló, do Partido Novo Progressista. Segundo Ferrer, os portorriquenhos foram "para a rua, para a praia, para o rio, não fizeram caso" do referendo.

Rosselló está no poder desde janeiro último e tem como meta fazer Porto Rico se tornar parte dos EUA. Ele promete defender a causa nas viagens a Washington e em vários fóruns internacionais. Já o Partido Popular Democrático, contrário à causa, boicotou a votação, juntamente com o Partido Independista Portorriquenho.

Mundialmente, o país é conhecido pela ascendência familiar da cantora e atriz Jennifer Lopez, nascida em Nova York. Os brasileiros também ouviram falar do país através do conjunto vocal Menudo, que fez muito sucesso na década de 1980.

"DIFERENÇAS ARTÍSTICAS"

Em novembro de 2009, Brittany Murphy viajou com seu marido, o produtor inglês Simon Monjack, para resolver um assunto. Monjack foi só como acompanhante, pois se tratava apenas da reunião de Britt com os produtores de um filme de suspense, O Chamado (The Caller), então em pré-produção.

Os dois foram para Porto Rico, onde estavam os produtores e onde seria filmada toda a trama. Brittany seria escalada para fazer a protagonista, Mary Kee, que se vê às voltas de um misterioso telefonema.

Brittany não teria se entendido bem com os produtores do filme, que talvez não compreenderam a natureza do talento da atriz, e a participação dela foi cancelada por "diferenças artísticas". A desistência ocorreu depois de Britt ser cortada de participar do elenco de dublagem de Happy Feet 2 e de ter optado de não participar de Os Mercenários (The Espendables).

Consta-se, no entanto, que o marido de Brittany também aprontou. Viciado em drogas, remédios e álcool, Simon havia se embriagado uma vez e aprontado escândalo. Isso também teria influenciado os produtores a não aceitar Brittany. No voo de retorno a Los Angeles, Simon, bastante obeso, chegou a passar mal e quase sofreu um ataque cardíaco. Ela ficou constrangida com a situação.

O filme acabou sendo protagonizado por Rachelle Lefevre, que mais tarde participou do seriado Under the Dome com Mike Vogel, que trabalhou com Brittany no filme Do Outro Lado do Corredor (Across the Hall). Rachelle esteve também na saga Crepúsculo (Twilight), que, sabemos, teve Dakota Fanning, que atuou com Britt em Grande Menina, Pequena Mulher (Uptown Girls), no elenco de um dos longas.

Outro protagonista de O Chamado foi Stephen Moyer, marido da também atriz Anna Paquin, que se consagrou no filme O Piano (The Piano), ao lado de Holly Hunter, a mesma que atuou com Brittany Murphy no filme A Agenda Secreta do Meu Namorado (Little Black Book).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FILHA DE MÁRCIA CABRITA NÃO TEVE A SORTE DE BRITTANY MURPHY

Ontem, 10 de novembro de 2017, mesmo dia do aniversário de 40 anos de nascimento de Brittany Murphy, a atriz brasileira Márcia Cabrita, também famosa por papéis cômicos, faleceu, perdendo a batalha contra um câncer no ovário, doença diagnosticada em 2010 (a essas alturas Britt já era falecida).

Com o falecimento de Márcia, sua filha Manuela Parente, não teve a sorte de Brittany, pois a adolescente brasileira acabou perdendo a mãe, ameaça da qual a atriz estadunidense foi poupada. Sabe-se que, entre 1990 e 1992, Sharon Murphy sofreu câncer de mama, com alto risco de falecimento, mas sobreviveu.

A exemplo de Sharon, Márcia Cabrita estava solteira, embora seu divórcio com o psicanalista Ricardo Parente tinha sido bastante amigável. Márcia e Ricardo foram casados entre 2000 e 2004, e continuaram amigos desde então. Ricardo compareceu ao velório da ex-mulher, hoje de manhã, em Niterói, terra natal da atriz, famosa por produções como o seriado Sai de Baixo e sua última novela, Novo Mundo, …

TERMO "PATRICINHA" TEVE ORIGEM EM SOCIALITE BRASILEIRA

O termo "patricinha", que os fãs de Brittany Murphy conhecem pela denominação brasileira dada ao filme de título "seco", Clueless (traduzido do inglês, "sem pistas"), que virou As Patricinhas de Beverly Hills, teve sua origem revelada.

A expressão corresponde ao tipo de garota bem nascida, consumista, fanática por moda, de comportamento ingênuo e intelectualmente duvidoso. Algo como uma jovem dondoca, muitas vezes muito bonita, mas inacessível pelo seu tipo aristocrático.

A revelação se deu no livro Enquanto Houver Champanhe, Há Esperança, que o jornalista Joaquim Ferreira dos Santos, famoso por seus livros memorialistas, como 1958 - O Ano Que Não Devia Terminar (1997), dedica à biografia do colunista social Zózimo Barroso do Amaral.

O termo surgiu da socialite Patrícia Leal, trineta do conde Modesto Leal, que havia sido um dos homens mais ricos do período da República Velha (1889-1930). Patrícia se destacou nas colunas sociais da década de 1990 e, ex-na…

BRITTANY MURPHY NA PREMIERE DE 'CLUBE DAS BABÁS'

Aqui vemos Brittany Murphy, em 1995, ano de seu primeiro grande sucesso As Patricinhas de Beverly Hills (Clueless), na premiére de um filme no qual não participou, mas igualmente uma comédia juvenil, O Clube das Babás (The Babysitters Club).
No filme, o destaque do elenco é o ator e cineasta Bruce Davison, que esteve em três filmes com Britt: Jogada de Verão (Summer Catch), de 2001, A Garota Morta (The Dead Girl), de 2006, e Megafault, de 2009.
Outra curiosidade é que um dos atores de Clube das Babás, Aaron Michael Metchik, foi um dos protagonistas do seriado The Torkelsons, cuja temporada de 1993, rebatizada Almost Home, teve Brittany no elenco.
Aqui vemos uma foto com Britt no lançamento do filme e a capa da edição em DVD da referida produção.