Pular para o conteúdo principal

DEZ ANOS DE UM CASAMENTO QUE NÃO DEVERIA TER OCORRIDO

NÃO FOSSE O FIM TRÁGICO, O CASAMENTO DE BRITTANY MURPHY TERIA TERMINADO EM 2010.

No dia 05 de maio de 2007, ocorreu um casamento que poucos imaginavam que iria influir na tragédia de Brittany Murphy, a adorável atriz e cantora com um talento e uma personalidade únicos, e que faleceu praticamente no começo de sua promissora trajetória.

Brittany havia se ascendido entre 2003 e 2006, com filmes como Recém-Casados (Just Married) e Grande Menina, Pequena Mulher (Uptown Girls), ambos de 2003, teve um curso de produção para fazer a Stacy Holt de A Agenda Secreta do Meu Namorado (Little Black Book), de 2004.

Ela teve também uma participação elogiada no filme Sin City - Cidade do Pecado (Sin City), de 2005, impressionando o cineasta e autor tanto da adaptação quanto da obra original de quadrinhos, o desenhista Frank Miller. Dublou a pinguim Gloria em Happy Feet - O Pinguim (Happy Feet), de 2006 e ainda gravou seus primeiros trabalhos como cantora, revelando sua bela voz sexy na música "Faster Kill Pussycat", como cantora convidada do DJ Paul Oakenfold.

Brittany ainda foi fazer uma comédia britânica, Amor e Outros Desastres (Love and Other Disasters) de 2006, com uma personagem comparável à Holy Golightly de Audrey Hepburn em Bonequinha de Luxo (Breakfast at Tiffany's) mas sua vida depois começou a desandar.

A partir deste filme, alguns filmes teriam títulos que depois fizeram trocadilho com a repentina tragédia de 20 de dezembro de 2009. Love and Other Disasters, The Dead Girl, Megafault, Deadline, Abandoned e Something Wicked soam mera coincidência, mas os títulos dizem muito diante do triste destino de nossa Britt.

O casamento de Britt, ocorrido no mesmo ano que o de sua colega Jessica Alba - que chegou a romper com Cash Warren até se descobrir grávida da primeira filha - , poderia muito bem não ter ocorrido. O namoro de Britt com o produtor Simon Monjack, que ela conheceu em Londres, foi rápido demais e ele tinha um currículo não lá muito positivo.

Com fama de mulherengo e caloteiro, Monjack era viciado em remédios e drogas. Chegou a ser preso por passar cheque sem fundo. Era um produtor de carreira mediana, que chegou a participar da concepção de um filme sobre a falecida bailarina Edie Sedgwick, uma das musas do movimento multimídia de Andy Wahrol, mas acabou ficando fora.

Brittany Murphy acabou ganhando má fama com o casamento. Casou-se com um homem pouco atraente e que estava com 37 anos em 2007, e, não bastasse isso, era problemático. E a relação, de apenas dois anos e meio, acabou representando o ocaso de Brittany até o seu triste desfecho.

Podemos dividir a relação em duas fases. Entre 2007 e 2008, a relação parecia ter a cumplicidade relativa de dois namorados de escola. Tudo parecia bem e Britt e Simon apareciam eventualmente em clima de pegação. Mas, em 2009, a coisa desandou, talvez pelo fato do inglês não se adaptar ao competitivo mercado hollywoodiano.

Segundo veículos como The Hollywood Reporter noticiam, o casamento fez Brittany Murphy aumentar o consumo de remédios, já que o marido o fazia, embora ela não tenha acompanhado o consumo de drogas como cocaína que ele fazia. Certa vez, Brittany teria sido fotografada levando, a contragosto, um pacote de drogas para o marido, que a traiu transferindo dinheiro da conta dela para sustentar duas ex-namoradas com quem o produtor fez filhos, um de cada uma.

Existem várias hipóteses sobre por que Brittany Murphy faleceu. Sabe-se que ela teria sido envenenada na manhã de 20 de dezembro, provavelmente bebendo água que parecia ter sido misturada com veneno de rato ou substância similar. Há quem diga que também houve overdose de remédios.

Simon teria provocado, muito provavelmente, o falecimento da esposa, visando obter sua herança. Um suposto testamento da atriz atribuiu a mãe, Sharon Murphy (que havia se separado do pai dela, outro problemático, Angelo Joseph Bertolotti, quando Britt tinha dois anos), como herdeira da atriz.

Simon, consta-se, teria feito assédio sexual a Sharon, chegando a passar uma noite com a sogra. Possivelmente, ele teria tentado jogar a sogra contra Brittany, desprezando a profunda amizade que mãe e filha tinham ao longo dos anos.

A herança seria uma forma de pagar as dívidas de Simon com um traficante de drogas e também sustentar as ex-namoradas. Houve relato de que Simon tentou fazer Sharon não ligar imediatamente para o hospital para socorrer Brittany, alegando que a imprensa iria explorar o fato e supor que a atriz era uma drogada. Só tardiamente a ambulância foi chamada, mas era tarde demais.

Se Brittany tivesse sobrevivido aquele ataque cardíaco - movido por uma combinação de pneumonia, anemia e forte depressão - , teria se separado de Simon em janeiro de 2010. Há indícios de que a relação já estava por um fio depois que, em novembro, o casal havia voltado de Porto Rico, sede da produtora do filme The Caller, suspense cuja participação de Britt foi cancelada depois de uma discussão com os produtores.

Simon teria se embriagado durante a estadia em Porto Rico e, no avião de volta, chegou a se sentir muito mal, consequência também de seu físico obeso, que quase fez o produtor sofrer um infarto. O incidente agravou ainda mais a reputação já arranhada de Britt.

Há outras hipóteses que surgiram para a tragédia. Inicialmente falou-se que Britt teria se suicidado, deprimida por ter sido cortada de Happy Feet 2. Ou que um traficante matou Britt e, meses depois, Simon. Ou que um maníaco de Hollywood teria acabado com a vida dela. Consideramos a hipótese mais provável a de que Simon teria matado Britt, pelos fortes indícios que se apresentaram.

Simon teria falecido em 23 de maio de 2010, aos 40 anos. Na mesma época, policiais apreenderem um computador de Simon para analisar dados de transferência de dinheiro, entre outras possíveis irregularidades.

Em todo caso, independente de Simon ter cometido ou não o crime - é importante verificar que Simon morreu em circunstâncias semelhantes a Britt - , o que se sabe é que o casamento dela com o produtor não deveria ter ocorrido.

Se Brittany tivesse continuado solteira ou, pelo menos, tivesse evitado Simon, com certeza ela estaria viva e teria feito muitos brilhantes trabalhos. Sua reputação não teria se baixado, e talvez ela tivesse feito Happy Feet 2. A personagem Shelly não teria sido cortada de Sin City 2 e Britt teria feito participação como dubladora em seriados como Uma Família da Pesada (The Family Guy). E teria sido uma cantora e compositora pop de primeira. Britt nos deixou com saudades.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FILHA DE MÁRCIA CABRITA NÃO TEVE A SORTE DE BRITTANY MURPHY

Ontem, 10 de novembro de 2017, mesmo dia do aniversário de 40 anos de nascimento de Brittany Murphy, a atriz brasileira Márcia Cabrita, também famosa por papéis cômicos, faleceu, perdendo a batalha contra um câncer no ovário, doença diagnosticada em 2010 (a essas alturas Britt já era falecida).

Com o falecimento de Márcia, sua filha Manuela Parente, não teve a sorte de Brittany, pois a adolescente brasileira acabou perdendo a mãe, ameaça da qual a atriz estadunidense foi poupada. Sabe-se que, entre 1990 e 1992, Sharon Murphy sofreu câncer de mama, com alto risco de falecimento, mas sobreviveu.

A exemplo de Sharon, Márcia Cabrita estava solteira, embora seu divórcio com o psicanalista Ricardo Parente tinha sido bastante amigável. Márcia e Ricardo foram casados entre 2000 e 2004, e continuaram amigos desde então. Ricardo compareceu ao velório da ex-mulher, hoje de manhã, em Niterói, terra natal da atriz, famosa por produções como o seriado Sai de Baixo e sua última novela, Novo Mundo, …

ATRIZ DE RIVERDALE É COMPARADA A BRITTANY MURPHY

O portal Teen.Com fez uma lista dos atores do seriado juvenil Riverdale - um seriado de drama com personagens criados pela Archie Comics - , produzido pelo canal CW, da Warner, e comparou uma das atrizes, Lili Reinhart, que faz a Betty Cooper (a loura da turma do Archie), com Brittany Murphy, por causa da semelhança.

Consideramos que as semelhanças sejam muito leves, mas insuficientes para tamanha comparação. Tentamos usar uma outra foto da Brittany Murphy, com uma expressão facial mais parecida, para tentar reforçar a comparação.


A semelhança melhora um pouco, talvez até sugerindo que Lili pudesse interpretar Brittany numa possível nova cinebiografia. Mesmo assim, as semelhanças continuam leves.


O que notamos, todavia, é que Lili Reinhart é muito mais parecida com outra Brittany, a Brittany Snow, não apenas pelos olhos claros, mas pelo formato facial bem mais próximo. Se bem que Brittany Snow também já foi comparada com Brittany Murphy. E o mesmo prenome chamou muito a atenção.

TERMO "PATRICINHA" TEVE ORIGEM EM SOCIALITE BRASILEIRA

O termo "patricinha", que os fãs de Brittany Murphy conhecem pela denominação brasileira dada ao filme de título "seco", Clueless (traduzido do inglês, "sem pistas"), que virou As Patricinhas de Beverly Hills, teve sua origem revelada.

A expressão corresponde ao tipo de garota bem nascida, consumista, fanática por moda, de comportamento ingênuo e intelectualmente duvidoso. Algo como uma jovem dondoca, muitas vezes muito bonita, mas inacessível pelo seu tipo aristocrático.

A revelação se deu no livro Enquanto Houver Champanhe, Há Esperança, que o jornalista Joaquim Ferreira dos Santos, famoso por seus livros memorialistas, como 1958 - O Ano Que Não Devia Terminar (1997), dedica à biografia do colunista social Zózimo Barroso do Amaral.

O termo surgiu da socialite Patrícia Leal, trineta do conde Modesto Leal, que havia sido um dos homens mais ricos do período da República Velha (1889-1930). Patrícia se destacou nas colunas sociais da década de 1990 e, ex-na…